6 de jan de 2011

TV Cultura de São Paulo fecha sucursal em Brasília

A TV Cultura de São Paulo decidiu na segunda-feira (03/01), dois dias após a posse de Dilma Rousseff (PT), fechar a sua sucursal de Brasília.

Os sete profissionais que trabalhavam na capital federal foram demitidos: dois jornalistas, um editor de imagens, dois cameramen e dois auxiliares de produção. Essa era a única sucursal do canal.

A TV Cultura é mantida em parte com verba do governo do Estado de São Paulo, do PSDB. Seu presidente é João Sayad, ex-secretário de Cultura da gestão Serra.

Foram dispensados também três jornalistas de São Paulo: Evaldo Dell Omo, chefe de reportagem, Rui Rebelo e Roberto Chaves, editores. A chefia de reportagem ficará com Marília Assef.

Coordenador de jornalismo, Celso Kinjô disse em entrevista que a decisão de acabar com a sucursal de Brasília tem a ver com "a mudança no foco do jornalismo da emissora, que deve ser mais analítico".

Ele afirmou que a estrutura era "incapaz de concorrer com as grandes redes". Por isso, optou por trabalhar com material de agências, como a BBC, além da NBR e da TV Brasil, ligadas ao Planalto.

Há 4 meses no cargo, Kinjô disse que teve de esperar 2011 para as mudanças, porque a lei proíbe a demissão de funcionários concursados em período eleitoral.

Artigos Relacionados

0 comentários: