11 de ago de 2009

Justiça abre ação contra Edir Macedo e mais 9 pessoas por acusação de desviar dinheiro de fiéis


Segundo o "Jornal Hoje", todos são acusados por lavagem de dinheiro e formação de quadrilha. A decisão atende a um pedido do Ministério Público, depois de investigação de 2 anos.

Segundo a denúncia da promotoria, Edir Macedo e os outros acusados desviaram dinheiro de doações de fiéis e se aproveitaram da isenção de impostos oferecida a igrejas de qualquer culto, determinada pela constituição.

O Ministério Público e a Justiça entenderam que houve desvio de finalidade: em vez de aplicar o dinheiro em obras de caridade e na manutenção de templos, como as igrejas fazem, os recursos das doações foram empregados na compra de empresas e visavam o lucro por parte de Edir Macedo.

Ainda de acordo com a denúncia, aceita pela justiça, para esconder a origem do dinheiro, Edir Macedo e os outros acusados usaram um esquema de lavagem de dinheiro que envolveu empresas de fachada no Brasil e no exterior.

Os recursos então voltaram ao Brasil, de acordo com a promotoria, na forma de empréstimos feitos pelos chamados laranjas de Edir Macedo, e foram usados para comprar empresas, inclusive empresas de comunicação, como a TV Record do Rio de Janeiro e a TV Record de Itajaí.

O "Jornal Hoje" não conseguiu falar com os acusados, mas ao jornal Folha de São Paulo, que hoje (11/08) deu destaque ao assunto, o advogado Arthur Lavigne, que defende os dez denunciados, disse que as empresas não são de fachada e alega que elas foram fiscalizadas pela Receita Federal.

Artigos Relacionados

0 comentários: