12 de ago de 2009

Associação acusa Rede Brasil de piratear filmes e seriados

por Daniel Castro

A APCM, que representa grandes estúdios de Hollywood, está acusando a Rede Brasil de Televisão de exibir seriados e filmes sem deter os direitos.

A Rede Brasil não tem nada a ver com a TV Brasil, a TV pública federal. É uma emissora que transmite em canais UHF em vários Estados e na internet. Na Grande SP, opera no 45 e no 59.
Exibe programas de Celso Russomano e Nei Gonçalves Dias. Em sua programação estão "M.A.S.H.", "Arquivo X", "Lois & Clark", "Nova York contra o Crime" e "A Ilha da Fantasia", entre outras.

Na semana passada, a APCM notificou a Rede Brasil, a pedido da FOX, afirmando que o canal não tem "qualquer tipo de autorização" para a veiculação de conteúdo do estúdio. Pediu a retirada das séries do ar.

A MPA (Motion Pictures Association), espécie de sindicato dos estúdios, também pediu à Rede Brasil explicações sobre a exibição de séries. Argumenta que nenhum estúdio tem contrato com a emissora e que só eles podem vender no Brasil.

Marcos Tolentino, presidente da Rede Brasil, diz que comprou os direitos dos filmes e seriados de empresas que representariam os estúdios no Brasil. Em entrevista, ele citou o nome de 2 delas. Enviou extrato de contrato pelos direitos de "Roswell". Nele, a brasileira E+ Entretenimento compra os direitos de uma empresa das Ilhas Virgens, paraíso fiscal.

Cristiano Gomes, vice-presidente da E+, diz que fez uma parceria, cedendo os direitos da série à Rede Brasil. Sustenta que nunca teve problemas de direitos com seu fornecedor.

Artigos Relacionados

0 comentários: